top of page
  • Foto do escritorNathalia Morgana

Asanas e Parábolas: Natarajasana - postura do dançarino

Atualizado: 25 de fev. de 2021

Natarajasana é derivado da combinação das palavras sânscritas Nata (dançarino), Raja (Deus/rei) e asana (postura). Na mitologia hindu, Nataraja é um nome dado a um avatar (reencarnação) do Deus Shiva, o Deus da destruição, pois ele costumava fazer uma dança cósmica para restaurar o equilíbrio no universo.


Embora Shiva seja chamado de destruidor, é através da destruição do antigo que cria um novo solo rico no qual o renascimento pode ocorrer.

Shiva representa mudança.

Nas estátuas de Nataraja, Shiva dança em um anel de chamas que representa o samsara, ou o ciclo de nascimento e renascimento. Você pode pensar neste ciclo como reencarnação, ou pode pensar nele como o ciclo contínuo de padrões de vida que se repetem continuamente. Sabe aquela lição que a vida tenta te ensinar? É bastante intencional. Esses padrões existem para nos ajudar a crescer e evoluir e enquanto você não aprender o que a vida quer te ensinar, esse padrão se repetirá continuamente.


O anão na imagem do 'dançarino cósmico' representa nossa ignorância. Ou seja, nossa tendência de nos identificarmos com nosso ego. O anão é travesso, ele causa drama e nos leva ao erro - mas não Shiva que, tendo dominado a avidya, dança em cima deste anão. De sua visão no topo de anão, Shiva é capaz de acessar um estado de consciência mais elevado e universal enquanto continua a dançar ao som de seu tambor.


Mitologia por trás de Natarajasana

Shiva é frequentemente mostrado com cobras ao redor do pescoço. Embora pareça uma imagem assustadora, seu simbolismo está, na verdade, longe disso. O veneno da cobra (que Shiva usa ao redor do pescoço) simboliza avidya, ou o véu da ilusão que nos impede de reconhecer nossa verdadeira natureza divina. O veneno da cobra não é nada para Shiva porque ele vive com o conhecimento de que todos somos divinos. A prática da Yoga busca desenvolver esse conhecimento dentro de nós - e a compreensão de nossa conexão com toda a criação.


A dança de Nataraja é conhecida como Ananda Tandava, que significa a "dança da felicidade". Nesta forma de dança, Lorde Shiva é mostrado dançando dentro de um círculo de fogo cósmico que é responsável tanto pela criação quanto pela transformação de tudo.


Nataraja tem quatro braços, com cada braço representando coisas diferentes:

  • Em um deles, ele segura agni (fogo), que simboliza o ciclo da vida e da morte.

  • A outra mão está em Abhaya Mudra que é um gesto de destemor. Também nesta mão tem uma cobra enrolada 3 vezes no braço, simbolizando passado, presente e futuro.

  • A terceira mão contém um instrumento musical damaru, que é um tambor em forma de ampulheta e representa o ritmo da música e do universo.

  • A quarta mão aponta para seus pés, simbolizando a dualidade.

Nataraja, com o uso de mudras e objetos, incentiva você a honrar a música, tornar-se destemida, crescer e expandir, sentir-se livre e livre. Nataraja também é responsável pela criação, preservação e destruição ou transformação do Universo.

A lição

Quando percebemos que não estamos permanentemente presos a nada - tristeza, felicidade, juventude, velhice - percebemos que somos livres. Shiva representa a liberação do medo da mudança. Na verdade, como seres energéticos, não podemos ser criados nem destruídos; podemos simplesmente mudar de forma.


A postura

A postura em sua homenagem, natarajasana ensina a reconhecer os contrastes. Por um lado, fica-se ciente da dança da vida, com todos os seus ritmos, ciclos, desafios e recompensas; mas, por trás de tudo isso, há uma quietude absoluta. Essa postura ajuda o praticante a ser capaz de testemunhar todos esses movimentos e mudanças, mas permanece imutável. Em outras palavras, ficar quieto enquanto dança e dançar enquanto estiver parado. A postura representa a energia cósmica e, quando você pratica, está dançando no fluxo do universo.


  • Para executar a postura comece ficando em pé em linha reta com os braços nas laterais.

  • Flexione o joelho direito levando o pé para trás.

  • Com a mão direita, pegue a parte externa do pé direito ou tornozelo.

  • Então, pressionando o peito do pé na mão direita, eleve a coxa direita o máximo possível.

  • O braço esquerdo é esticado para frente, paralelo ao chão.

  • Este asana é mantido por algumas respirações e então repetido do outro lado.



Benefícios físicos e energéticos:

  • Essa postura estimula o fluxo sanguíneo no corpo elevando seu nível de energia.

  • Ao abrir seu corpo dessa maneira poderosa, você também abrirá sua mente para novas possibilidades.

  • A postura também abre o peitoral, simbolizando a abertura do coração. Dessa forma ajuda o Yogi a ver e aceitar todas as pequenas "falhas" dos outros, bem como as suas.

  • Natarajasana também melhora sua concentração e foco. Devido ao intenso foco e concentração necessário para executar essa postura, é excelente para as pessoas que têm uma mente agitada que não se desliga.

  • Fortalece as pernas, quadris, tornozelos e tórax e ajuda a desenvolver a graça.

  • Também promove quietude interior e consciência de que o mundo está mudando ao seu redor.

Os asanas de Yoga são simbólicos e significativos e podem agregar grande valor ao Yogi, trazendo novas perspectivas.

Natarajasana pede para trabalhar com o medo por meio de seu foco na flexão e equilíbrio das costas. Ambos podem provocar uma resposta de medo, que podemos liberar abrindo o coração (afinal, essa postura é um forte abridor de coração). Também podemos usar essa postura para examinar nosso medo de cair e, em resposta, cultivar a disposição de nos equilibrar bem no limite de nossa zona de conforto. É somente por meio do equilíbrio que uma sensação de liberação pode ser evocada, da maneira que Shiva fez na dança de Nataraja.

585 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page