top of page
  • Foto do escritorNathalia Morgana

Pratyahara - abstração dos sentidos

Pratyahara é traduzido como "retirada dos sentidos" onde prati significa "retirar", e ahara significa "comida" ou "alimento" no sentido de qualquer coisa que ingerimos/consumimos de fora.



Pratyahara é a retirada consciente da energia dos sentidos.

A retirada dos sentidos faz com que a gente se conecte com nosso mundo interior, criando as condições ideais para a auto-realização, que é o objetivo do Yoga. Pratyahara também nos ajuda a compreender o quanto a mente é influenciada por estímulos sensoriais e a perceber o papel dos pensamentos e sentimentos no sofrimento.


Na tradição do Yoga, existem três níveis de ahara:

  • Alimento físico: que nutre o corpo

  • Impressões dos cinco sentidos: as impressões e sensações que entram através dos sentidos: tato, visão, audição, olfato, paladar

  • Associações com outras pessoas: Que são os relacionamentos que temos com a família, amigos, marido, esposa, namorado, namorada, filhos, etc.

Portanto, praticar pratyahara nesses 3 níveis é evitar as coisas ruins: alimento ruim, impressões ruins (noticias, fofoca), relacionamentos que nos façam mal, etc. Mas ao mesmo tempo é também abrir-se para as coisas boas: alimento saudável, impressões boas, relacionamentos e associações que nos fazem bem.

A prática de pratyahara é a retirada de qualquer ahara que não seja nutritivo para o corpo, mente ou espírito.

Nós vivemos um fluxo constante de informações por meio de nossos cinco sentidos. Na era digital de hoje com o fluxo intenso de estímulos, começa a ficar cada vez mais difícil ter um momento de descanso sensorial.


As redes sociais querem nos prender ali o maior tempo possível e eles captam a nossa atenção através dos sentidos: audição, visão... mas também através dos desejos, da inveja, da gula.


Quando reagimos instantaneamente às informações que nossos sentidos nos trazem, estamos sendo puxados de nossa paz interior para o mundo externo que é instável, impermanente e cheio de sofrimentos. Os sentidos assumem o controle e a gente acaba pulando de uma reação impulsiva para outra esquecendo nossos objetivos mais elevados na vida: que é esse contato com a paz interna, com o lugar interno de nossa essência, que é o estado de Ananda (bem-aventurança).


Pular de uma reação impulsiva a outra é apenas se afastar da realidade. É a necessidade de buscar o estímulo como uma fuga. Tento perceber quando quero escapar da minha vida encontrando ambientes altamente estimulantes. Por exemplo, às vezes quero ir ao cinema para escapar de algo que não quero lidar; às vezes tenho vontade de ir ao shopping. Não acho que ir ao shopping ou ao cinema seja problemático em si. Mas quando uso essas atividades estimulantes para escapar, isso pode interferir na minha intenção de estar conscientemente presente a cada momento.


Nossos sentidos são essenciais para a vida diária, então como podemos cultivar a prática do pratyahara?


Qualquer coisa que tire o seu foco das impressões externas e crie impressões internas pacíficas e positivas é pratyahara.


Desintoxicação da mídia

Escolha o tipo de mídia/noticiais que quer receber. Que tipo de impressão você está se alimentando por meio da TV ou da mídia social? É inspirador ou é junk food (tóxico) para a mente? Para se distanciar dessa sobrecarga sensorial, passe algum tempo sem mídia. Mesmo que apenas algumas horas em dias alternados, desligue o celular, a TV e o notebook e volte seu foco para dentro. Participar de um retiro de silêncio é uma ótima forma de fazer uma desintoxicação dos estímulos do mundo digital.


Aula de Yoga

Mova-se para a paz durante a prática de asana, liberando a tensão física. Isso é vital para a mente ficar quieta e é uma preparação perfeita para as próximas fases do Yoga. Cultive elementos de pratyahara deixando o mundo externo para trás e estando totalmente presente em seu tapete. Esteja ciente de seus sentidos e observe suas reações a eles.

Não podemos mudar o que não temos consciência, e a prática de asana fornece a plataforma perfeita para a autodescoberta.

Concentre a mente e os sentidos o seguirão

A mente pode receber apenas uma certa quantidade de entrada sensorial, então a energia flui para onde a mente vai. Podemos usar isso no pratyahara e intencionalmente direcionar a mente para dentro, para longe dos estímulos externos. Se a mente é controlada, os sentidos também são controlados.


Você pode começar direcionando sua mente para um único sentido, como ouvir. Da próxima vez que você estiver em Savasana, permita que sua mente se concentre em todos os diferentes sons ao seu redor, distantes e próximos. Tente não julgar ou rotular os sons, apenas ouça. Uma vez que a mente se acostuma com os sons, ela irá naturalmente se concentrar mais no interior.


Paciência e prática

Yoga é um processo de descoberta e crescimento. Assim como a prática de asana leva tempo, o mesmo ocorre com a prática da mente. Não podemos pular para a postura do corvo em nosso primeiro dia de prática de asana, mas isso não significa que não possamos chegar lá. Devemos permitir à nossa mente a mesma liberdade para crescer e se desenvolver. Seja paciente, pratique e aceite cada dia como ele vier.


Savasana para praticar Pratyahara

Em termos modernos, entretanto, pratyahara também pode ser usado para descrever práticas como Yoga Nidra ou Yoga Restaurativo em que a atenção é especificamente desviada de estímulos externos.


1º estágio do Savasana:

O primeiro estágio do Savasana envolve relaxamento fisiológico. Nesse estágio, à medida que você se sente confortável, primeiro percebe-se que os músculos estão relaxando gradualmente, depois a respiração se desacelerando e, finalmente, o corpo se soltando completamente. Embora delicioso, este primeiro estágio é apenas o começo da prática.


2º estágio do Savasana:

O próximo estágio de Savasana envolve o "invólucro" mental. De acordo com a tradição do Yoga, cada pessoa tem cinco revestimentos ou invólucros:

  • Invólucro alimentar (o corpo físico- Annamaya Kosha – ana significa alimento);

  • Invólucro vital ou prana (o nível dos canais de energia sutil- Pranamaya Kosha);

  • Invólucro mental (o nível da maioria das reações emocionais – Manomaya Kosha);

  • Invólucro da consciência (intelecto, ego- Vjnanamaya Kosha;

  • Invólucro causal, bem-aventurança (o registro cármico das experiências da alma – Anandamaya Kosha).


Esses invólucros podem ser considerados camadas cada vez mais sutis de consciência.


No segundo estágio de Savasana, você está se retirando do mundo externo sem perder completamente o contato com ele. Essa retirada é a experiência de pratyahara. A maioria de nós conhece esse estado; quando você está nele, você se sente como se estivesse em um sono profundo, porém consciente. Você registra os sons que ocorrem ao seu redor, por exemplo, mas esses sons não criam perturbação em seu corpo ou mente. É esse estado de não reação que estou chamando de pratyahara. Você ainda registra a entrada de seus órgãos dos sentidos, mas não reage a essa entrada. Parece haver um espaço entre o estímulo sensorial e sua resposta. Ou, na linguagem do dia-a-dia, você está no mundo, mas não é dele.

411 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page