top of page
  • Foto do escritorNathalia Morgana

Simbolismo do Bhagavad Gita

Atualizado: 14 de jun. de 2022

Bhagavad Gita significa "A canção do Senhor" e descreve o diálogo de Krishna com Arjuna. O Bhagavad Gita faz parte de uma obra sagrada do Hinduísmo chamado Mahabharata, um épico indiano.



De acordo com o Bhagavad Gita, há inúmeros caminhos para se alcançar o divino. Há tantos caminhos quanto seres humanos na terra. Cada qual tem que iniciar sua busca da iluminação segundo seu próprio entendimento. Esse entendimento depende da personalidade de cada um que o Bhagavad Gita descreve como devoção (bhakti Yoga) , ação reta (karma yoga), meditação e sabedoria(Jnana Yoga).


Um aspecto interessante do Bhagavad Gita é a sua universalidade e atemporalidade. Quaisquer que sejam as necessidades de um dado povo ou época, essa escritura falará a todos do patamar mais elevado.


Os ensinamentos se preocupam muito com com a prática do que com a crença de cada um, por isso não é um livro especificamente hindu: ele abrange qualquer tempo, qualquer crença, qualquer um que esteja buscando vencer a luta contra o ego e a ignorância e alcançar a luz da auto realização.


Para entender o Bhagavad Gita, é importante entender toda a história de Mahabharata que descreve uma batalha entre os irmãos Pandavas e os Kauravas. Eles são primos. Mas o texto é todo alegórico. Os exércitos representam a oposição que existe dentro de cada um de nós entre nossas tendências superiores e inferiores. A guerra sem si simboliza nossos conflitos internos.


As propostas no Gita aplicam-se a todos os níveis da vida: material, mental, emocional e espiritual. Os personagens representam as qualidades psicológicas dos seres humanos.

Os Pandavas eram descendentes de Pandu. Os 3 primeiros filhos de Pandu eram de sua esposa Kunti e os dois filhos mais novos, eram de sua esposa Madri.


Os Pandavas

  • Pandu, o pai dos Pandavas, simboliza o discernimento, ou buddhi.

  • Kunti, a mãe dos três primeiros Pandavas, representa o poder da serenidade.

  • Os 3 Pandavas mais velhos são Arjuna, Bhima e Yudhisthira.

  • Madri, a mãe dos dois Pandavas mais jovens (que são gêmeos) representa o poder do apego à serenidade.

  • O Pandava mais jovem, Sahadeva, representa o primeiro chakra, Muladhara.

  • Nakula, o gêmeo mais velho, representa o segundo chakra, Swadisthana.

  • Os dois primeiros chakras, também se relacionam respectivamente a Yamas e Niyamas que são os preceitos éticos e morais do Yoga. É o poder de evitar o erro e aderir ao acerto.

  • Cada Pandava corresponde a um dos 5 chakras.

  • Draupadi, esposa dos 5 irmãos Pandavas representa o poder da kundalini.

  • Arjuna, príncipe dos devotos, representa o terceiro chakra, Manipura, o sólido autocontrole.

  • Bhima, representa o quarto chakra, Anahatha, que tem a qualidade do coração e controle da força vital.

  • Yudhisthira representa o quinto chakra, Vishuddha

Os Kauravas

  • Dhritarashtra, pai dos Kauravas, nasceu cego representando os aspectos da mente que só conseguem perceber a realidade através dos sentidos (cego que somos espiritualmente).

  • Sua mãe era Ambika que representa a dúvida negativa.

  • Sanjaya é o secretário pessoal do rei cego Dhritarastra, representa a introspecção. Só ele pode trazer a verdadeira realidade à mente cega.

  • Sanjaya tem o dom de ver eventos à distância (divya-drishti). Ele que narra os acontecimentos para o rei cego.

  • A primeira esposa de Dhritarashtra, Gandhari representa poder do desejo. Ela tem cem filhos de uma vez na mesma gestação. Seu primeiro filho é Duryodhana que simboliza os desejos do ego.

  • Os outros irmãos são Bhisma que representa o ego, Karna representa o apego, e outros que não caberia falar aqui.

Outros personagens

  • Drona é um mestre que foi guru tanto dos Pandavas quanto dos Kauravas. Drona representa a força do hábito. Drona tem a função de ensinar as artes marciais e principalmente a prática de ser arqueiro, função mais importante da época.

  • O arco representa a espinha dorsal (onde estão os chakras).

  • A flecha representa o poder da concentração.

  • O melhor aluno de Drona foi Arjuna.

  • Quando o arco está estirado, a corda lembra a espinha e a madeira encurvada se parece com a frente do corpo. Quando viramos o arco, podemos visualizar também as sobrancelhas como as duas metades curvas de um arco, sendo o ponto central entre ambas a parte onde se firma a flecha.

  • A flecha então simboliza o terceiro olho.

  • Na história, Drona fica ao lado dos Kauravas, mostrando que apenas a força do hábito não é suficiente para passar por testes psicológicos e espirituais. Até os bons hábitos precisam ser modificados pela inspiração divida.

O Bhagavad Gita é acima de tudo uma alegoria da evolução da alma.
1.032 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page