top of page
  • Foto do escritorNathalia Morgana

Diário de bordo: Índia - Pune

Atualizado: 16 de fev. de 2021

Após a visita à casa do Dr. Garothe, fomos direto para a cidade de Pune.


Pune (Poona em inglês ) é a segunda maior cidade o estado indiano de Maharashtra depois de Mumbai. Tem mais de 3,5 milhões de habitantes. A cidade é considerada a capital cultural de Maharashtra. Também é conhecido como "Oxford do Oriente" devido à presença de várias instituições educacionais conhecidas. A cidade emergiu como um importante centro educacional nas últimas décadas, com quase metade do total de estudantes internacionais no país estudando em Pune. Os institutos de pesquisa em tecnologia da informação, educação, gerenciamento e treinamento atraem estudantes e profissionais da Índia e do exterior. Várias faculdades em Pune têm programas de intercâmbio de estudantes com faculdades na Europa. É conhecida por ter existido como cidade desde 847. O nome vem da palavra sânscrita Punyanagara que significa “Cidade da Virtude”. Pune é classificada como a cidade número um na Índia no índice de facilidade de vida. Não é à toa que considerei uma das minhas cidades preferidas da viagem.


Após a prática matinal de Yoga no hotel saímos para um city tour. O primeiro local visitado foi O Palácio Aga Khan. Construído pelo sultão Muhammed Shah Aga Khan III o palácio foi um ato de caridade pelo líder espiritual dos muçulmanos Nizari Ismaili, que queria dar emprego aldeões, que foram drasticamente atingidas pela fome. Historicamente, o palácio tem um grande significado. Mahatma Gandhi, sua esposa Kasturba Gandhi e sua secretária Mahadev Desai foram internados no palácio de 9 de agosto de 1942 a 6 de maio de 1944, após o lançamento do Movimento Quit India . Kasturba Gandhi e Mahadev Desai morreram durante o período de cativeiro no palácio. Este palácio também é a sede da Sociedade Memorial Nacional de Gandhi.


Encontrei uma arvore de Sândalo, cuja madeira é muita apreciada e considerada sagrada pelos hindus e pelos Yogis. É muito usada para fazer as contas de Japamala. Essa da foto é uma árvore nova ainda.


Encontrei também a planta da qual é produzida a hena que usamos para tingir a sobrancelha. Na Índia é muito usada para fazer Mehndi, uma forma de arte corporal, na qual desenhos decorativos são criados no corpo de uma pessoa.



Saindo de lá fomos no Instituto do polêmico Osho. Para quem ainda não assistiu, vale a pena ver o seriado no Netflix Wild Wild Country que fala da ascensão e queda do Guru Rajneesh, e de como ele se tornou o conhecido Osho. No Osho International Institute não podemos entrar. A entrada é permitida apenas para quem está hospedado no resort de meditação e soropositivos não entram. Osho ficou conhecido como o Guru do Sexo e boatos dizem que acontecem orgias no resort.



Se você gosta de História e Museu, o Raja kelkar precisa entrar na sua lista de lugares para visitar em Pune. O Museu Raja Dinkar Kelkar de três andares abriga várias esculturas que datam do século XIV. Tem uma coleção rara de artefatos indianos que ecoam inúmeras histórias. Também existem ornamentos feitos de marfim, prata e ouro, instrumentos musicais (uma coleção particularmente fina), armas e navios de guerra.



No mesmo dia visitamos o Instituto de Yoga Ramamani Iyengar Memorial (RIMYI). É o coração e a alma do Iyengar Yoga, um estilo de Yoga que prioriza o alinhamento. O instituto foi criado em 19 de janeiro de 1975 e é dedicado à Smt. Ramamani Iyengar, esposa de Yogacharya BKS Iyengar. Há um grande significado por trás do design exclusivo do Instituto. Os três andares representam o corpo, mente e alma. Sua altura é de 71 pés e possui 8 colunas que representam os oito membros do ashtanga yoga yama, niyama, asana, pranayama, pratyahara, dharana, dhyana e samadhi.


Voltamos para o hotel e fomos nos arrumar para a noite de Reveillon.


Nota: Neste dia, algumas mulheres do nosso grupo resolveram ficar no centro de Pune para visitar as lojas de Saree (traje típico indiano). Elas tiveram dificuldade em voltar para o Hotel pois nenhum taxista queria levá-las. Os motoristas eram na maioria muçulmanos e rola um preconceito em carregar mulheres que não estejam acompanhadas de pelo menos um homem. Elas precisaram voltar à loja e com a ajuda do vendedor, pedir um taxi.


Na Índia 80% da população é hindu e o Ano Novo hindu é comemorado em datas diferentes dependendo da região. A celebração mais conhecida de Ano Novo Indiano se chama Diwali (Festa das Luzes) e ocorre geralmente em outubro ou novembro. Mesmo assim todos os indianos que nos cumprimentavam, nos desejavam feliz ano novo. Eles são muito corteses.

No hotel, jantamos comida típica e confraternizamos com o pessoal do grupo da viagem.

Na manhã seguinte praticamos Yoga no hotel e depois fomos para o aeroporto pegar um avião com destino a Delhi, norte da Índia.



Como nada nessa viagem foi normal, abaixo deixo registrado nossa passagem pelo aeroporto. Isso é o que acontece quando junta indianos e brasileiros.




113 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page